.mais sobre mim

.Calendário

.posts recentes

. Estranho

. Sou tão inconstante!

. Alicia Keys - No One

. Tomar decisões e fazer es...

. I Kissed a Girl

. If I were a boy

. Alguem soy yo

. Confusão

. "Confusão Sentimental..."

. Reviver

.links

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

.pesquisar

 

.Rádio

.As minhas visitas

.tags

. todas as tags

Segunda-feira, 15 de Outubro de 2007

"Confusão Sentimental..."

 

 

im08kafka.jpg


 


"A gente não controla o sentimento... Mas controla a atitude!" "Ou nós encontramos um caminho, ou abrimos um!"


           Hoje falarei de medos que tenho... que sinto... que tento esconder...      


          As vezes tenho medo do que possa vir a sentir, as vezes do que ja sinto, e não quero aperceber-me disso. Tantas vezes me perco dentro de mim tentando organizar este turbilhão de sentimentos, mas são mais as vezes que me perco neles do que as vezes que consigo compreender-me.


        Talvez eu propria não saiba o que quero... Quero dizer saber o que quero sei eu bem, não sei o caminho a seguir para consegui-lo, e as vezes fico perdida, sem rumo nem porto de abrigo. As vezes faço sofrer quem não merece, as vezes por incompreensão do meu coração perco o que sempre procurei.


       Com o passar do tempo muitas coisas mudam ate os sentimentos, convicções, ideiais que davamos como certos, verdadeiros e ideais para nos. Isso assusta-me... a inscontancia dos sentimentos, do que sinto e do que quero.


       Tambem sei que nada é certo e nada é para sempre mas algumas vezes na vida gostava de ter certezas certas, que não levantassem duvidas .

Cláudia às 00:01
| comenta | ver comentários (5) | favorito
Terça-feira, 2 de Outubro de 2007

Reviver

Revivo em silêncio,
doces despedidas.
Perdidas nos tempos
e estradas da vida.


Relembro palavras,
de fé e de calma,
carinhos, doçuras,
calando na alma.

Envolvendo meus braços,
os teus, calor que senti.
Aquecendo meus lábios,
beijos, tantos, que tremi.

Olhar, que o meu refletiu.
Pensar, que ao meu se fundiu.

Momentos tão nossos,
encantos e votos,
fizeram-se meus,
como se em mim coubessem,
teus cânticos roucos,
teus desejos loucos,
que eram tão meus,
como se em mim vivessem.

Repasso, em curtos flashes,
tão pouco foi, tanto se tornou,
em mim, fizeram-se raízes,
profundas, lembrança que restou,
de outros tempos mais felizes.
Hoje, não mais me aqueces.

Nem teus lábios mais me tocam,
ou sequer meu nome, pronuncias,
não carregam ecos os ventos,
apenas minhas memórias provocam,
envolto em silêncio, noites frias,
imagens de tí, fixos pensamentos.

Golden

Cláudia às 18:23
| comenta | favorito